segunda-feira, 22 de agosto de 2016

22 de agosto 2016. Papo Com Du. SEGUNDONA QUE SEGUE E O SHOW? ESSE VAI SEMPRE CONTINUAR!!!

PENSAMENTO DO DIA
“O passado serve para evidenciar as nossas falhas e dar-nos indicações para o progresso do futuro”. Henry Ford.


OLIMPÍADA: VÔLEI MASCULINO É OURO E OVACIONADO EM PÉ!
O Brasil se despediu dos Jogos Olímpicos Rio 2016 com a medalha de ouro no vôlei masculino. A seleção de Bernardinho venceu a Itália com facilidade surpreendente na final por 3 sets a 0 e conquistou o terceiro título olímpico. Presente em todas as finais do masculino na modalidade desde Atenas 2004, o Brasil começou a Rio 2016 como coadjuvante. Tanto é que havia perdido na primeira fase por 3 a 1 para os italianos, mas soube crescer durante a competição. No reencontro, não deu chances aos rivais. Os brasileiros foram os campeões mais improváveis destes Jogos. Com grande atuação de Wallace, fez história no Rio de Janeiro e deu aos torcedores a despedida.
Parte dessa maturidade do líbero brasileiro Serginho pôde ser vista na entrevista que deu já como o maior medalhista olímpico brasileiro em esportes coletivos, com duas pratas e dois ouros. Natural do bairro de Pirituba, na zona norte de São Paulo, fala com simplicidade que impressiona. "Eu sou o um cara normal, sou o Sergio, filho da dona Didi, de Pirituba. Amanhã eu volto à vida normal, de buscar os filhos na escola e tomar Tubaína lá em Pirituba". Reverenciado por todos os jogadores brasileiros em quadra, ele é considerado pelos colegas a personificação do perfeito herói olímpico.

OLIMPÍADA: SERGINHO VOCÊ É O CARA!

 O líbero Serginho, aos 40 anos, merece destaque. Ele esteve presente nas últimas quatro finais olímpicas com o Brasil e conquistou o bicampeonato dos Jogos no Rio. No primeiro ouro, em Atenas 2004, era um garoto chegando a uma equipe que ainda contava com jogadores da geração que conquistou o primeiro ouro do vôlei, em Barcelona 1992. Agora, foi à voz e os olhos de Bernardinho dentro de quadra. Junto com o treinador, conseguiu levar um time sem grandes estrelas a bater a melhor equipe da competição na final. "O Serginho me tranquilizava em vários momentos e passava para os jogadores o que era preciso. Ele foi de uma maturidade impressionante na Olimpíada", falou Bernardinho após o jogo.


“Ei, ei, ei, Serginho é nosso rei”, gritavam os torcedores enquanto o capitão do Brasil era atirado ao alto. Após o hino nacional, foi Serginho o responsável por comandar o tradicional "peixinho da vitória". Com o microfone em mão, orientou os companheiros e, emocionado, fez um último discurso. "Tenho um presente para vocês, para dedicar para a seleção brasileira. Essa camisa que usei hoje, não vou dar para ninguém. Vou deixar aqui na quadra, no chão do Maracanãzinho e vocês podem fazer o que quiser com ela", completou.

OLIMPÍADA: BERNARDINHO O MELHOR DE TODOS OS TEMPOS!

Bernardinho, o comandante da equipe, também teve um desafio à parte. Teve que se reinventar como treinador, principalmente na forma como interage com os atletas durante os jogos. Quem se acostumou a vê-lo histérico e desesperado na beira da quadra nos Jogos anteriores, viu o técnico mais contido nas reclamações. Quando tinha que extravasar, virava para os auxiliares e poupava quem estava em quadra.A nova característica deu certo. A equipe brasileira rendeu acima do esperado. "Havia dúvida sobre essa geração, que estava batendo na trave nos campeonatos. Era hora de fechar bem. Não foi um grande jogo tecnicamente, mas nosso time se impôs contra uma equipe que dominou a Olimpíada", falou Bernardinho. O treinador ainda teve a felicidade de, como pai, ver o filho, o levantador Bruninho, conquistar uma medalha de ouro olímpica. "Eu estou em dívida com a vida. É uma felicidade única ver seu filho chegar ao ápice da carreira. É um momento de êxtase e de muito orgulho como pai viver tudo isso".O jogo realmente foi mais fácil do que se esperava. O Brasil havia perdido para a Itália na primeira fase por 3 sets a 1, o que colocava a seleção italiana como favorita na decisão. Um dos melhores jogadores do mundo, o oposto Zaytsev, era o homem a ser marcado na final. A seleção brasileira fez a lição de casa direitinho.
Depois de batermos na trave tantas vezes, merecíamos fazer esse gol", resumiu o jogador com a medalha de ouro olímpica no peito.

Agora é o momento da gente homenagear o cara que esteve em quadra nas últimas quatro finais olímpicas! Ele que tem duas medalhas de ouro e duas de prata em Jogos Olímpicos! O cara que sempre vestiu a camisa do Brasil com muito amor! O cara que, aos 40 anos, fez questão de defender o país, lutar, conduzir seus companheiros, e se jogar, de cabeça ou de peixinho, para conquistar essa medalha que hoje todo o Brasil comemora! Obrigado, Serginho! Os jogadores que estiveram ao seu lado nessa última jornada olímpica, e todos nós torcedores, temos um orgulho imenso de você!

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

19 de agosto 2016. Papo Com Du. SEXTA QUE SEGUE E O SHOW? ESSE VAI SEMPRE CONTINUAR!!!

PENSAMENTO DO DIA
“As mais lindas coisas da vida, não podem ser vistas nem tocadas, mas sim sentidas”! 

OLIMPÍADA VÔLEI DE PRAIA MASCULINO É OURO

Alison e Bruno Schmidt deram fim a um jejum de 12 anos do Brasil no vôlei de praia. Na Arena de Copacabana, a dupla da casa contou com apoio maciço da torcida para vencer os italianos Nicolai e Lupo, por 2 sets a 0 (21/19 e 21/16).
A vitória faz com que o Brasil conquiste o torneio na praia pela primeira vez desde Ricardo e Emanuel, em Atenas-2004. De quebra, o país chega a cinco ouros no Rio-2016, igualando a edição de 12 anos atrás, em que a delegação brasileira conseguiu o maior número de medalhas de ouro na história.
"Eu sou campeão olímpico, cara. Nós somos campeões olímpicos, o Brasil é campeão olímpico", comemorou Alison.
"Eu estou tão cansado, você não tem ideia. Duas semanas sem dormir, não consegui dormir nenhum dia, quatro horas no máximo. Estou exausto, cansado", revelou Bruno Schmidt, que agradeceu ao pai, Luiz Felipe, pela permanência na carreira.
"Pai, obrigado, eu quase pensei em parar de jogar três vezes, você não deixou".
OLIMPÍADA ATLETISMO: BOLT O MAIOR DE TODOS OS TEMPOS!
Maior velocista de todos os tempos, Usain Bolt fez sua despedida de provas individuais olímpicas na última quinta-feira (18) com uma medalha de ouro nos 200 metros, sua distância preferida. Bolt e o nadador Phelps são fenômenos a serem estudados. E o show? Esse vai sempre continuar!

quinta-feira, 18 de agosto de 2016

18 de agosto 2016. Papo Com Du. QUINTA QUE SEGUE E O SHOW? ESSE VAI SEMPRE CONTINUAR!!!

PENSAMENTO DO DIA
“We are the champions - my friends.
And we'll keep on fighting - till the end”. (Nós somos os campeões meus amigos.
E nós vamos continuar lutando - até o fim). Letra da música de Fred Mercury.
OLIMPÍADA VÔLEI DE PRAIA FEMININO É PRATA
Ágatha e Bárbara vibram com a medalha de prata (Foto: Reuters)
Ágatha e Bárbara fizeram o "impossível" ao eliminarem a tricampeã olímpica Kerri Walsh na semifinal do vôlei de praia. Na decisão, porém, não puderam repetir a façanha. Contra um vento muito forte e uma dupla alemã inspirada, as brasileiras não repetiram a atuação do dia anterior e caíram por 2 sets a 0, parciais de 21/18 e 21/14, diante de Ludwig e Walkenhorst, terminando o torneio com a prata. O segundo lugar é, por si só, um feito para Ágatha e Bárbara, que chegaram como a segunda dupla mais cotada do Brasil e se superaram para chegar na decisão.
OLIMPÍADA VÔLEI MASCULINO ESTÁ NA SEMI
Em meio a um duelo de torcidas no Maracanãzinho, a seleção brasileira masculina de vôlei eliminou a Argentina nas quartas de final, nesta quarta-feira (17). Com a vitória por 3 sets a 1 (25/23, 17/25, 25/19 e 25/23), o time de Bernardinho avança para a semifinal e segue sonhando com a quarta decisão olímpica consecutiva.
Na próxima fase, o time de Bernardinho reencontrará a Rússia, carrasca brasileira na final em Londres-2012. O duelo está marcado para acontecer hoje sexta-feira (19), ás 22h15.
OLIMPÍADA BASQUETE MASCULINO
A Argentina até parecia que daria trabalho aos Estados Unidos, mas tudo não passou de um leve susto nesta quarta-feira. Na Arena Carioca 1, a seleção sul-americana jogou bem durante os cinco primeiros minutos de jogo, mas logo caiu de rendimento e foi derrotada pelo Dream Team por 105 a 78, no que pode ter sido o último confronto dos norte-americanos contra a geração dourada argentina.
A partida foi marcada por um duelo entre os torcedores que lotaram as arquibancadas do ginásio. Os brasileiros adotaram os Estados Unidos. Apesar de geralmente os torcedores escolherem o "mais fraco" para torcer ao longo dos Jogos nas diversas modalidades, a rivalidade com os argentinos falou mais alto. Já a torcida vizinha deu o show de sempre, cantando alto, independente de sua seleção estar ganhando ou perdendo.
Ao final, riu por último a torcida brasileira com o o tradicional "eliminado" ecoando pela arena. Os argentinos prestaram homenagem à geração dourada, em tom de despedida.
Isso porque Manu Ginóbili, 39, Luis Scola, 36, Andrés Nocioni, 36, e Carlos Delfino, 33, pilares da histórica medalha de ouro da Argentina nos Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004, não devem estar presentes na próxima edição do Mundial, que será realizado na China.

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

17 de agosto 2016. Papo Com Du. QUARTA QUE SEGUE E O SHOW? ESSE VAI SEMPRE CONTINUAR!!!

PENSAMENTO DO DIA

Mesmo que vivas um século, nunca deixes de aprender”. Todd Ruthman.

OLIMPÍADA ATLETISMO: DE MARÍLIA PARA O OURO!


A noite de segunda-feira reservou (grandes) surpresas no Engenhão.
Uma chuva torrencial atrasou a programação do atletismo nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Thiago Braz o menino cuja mãe partiu e nunca mais voltou. Aquele que abdicou de vida social para treinar na Itália com foco na Olimpíada em casa ao lado do lendário treinador Vitaly Petrov, o homem por trás do sucesso de Yelena Isinbayeva e Fabiana Murer.
O rapaz de Marília (SP) que resolveu peitar ninguém menos do que Renaud Lavillenie, o francês detentor do recorde mundial do salto com vara e que a cada prova se mostrava mais imbatível.
A torcida, como era de se esperar, apoiou Thiago. E a cada salto válido, uma explosão nas arquibancadas. Até que todos perceberam a surpresa: ele iria "medalhar".
Não que realmente fosse uma novidade, pois já neste ano superou o recorde sul-americano com seus 5m93 em prova na capital alemã, Berlim.
O momento, porém, era único: ele lutava pelo ouro contra o melhor de todos.
"Um milagre", como o próprio atleta brasileiro definiu quando passou o sarrafo a 6m03. Novo recorde pessoal, continental. Só faltava também ser olímpico e se consagrou.
OLIMPÍADA VÔLEI MASCULINO
A classificação para as quartas de final do vôlei masculino foi muito mais sofrida que o esperado, mas veio em uma vitória convincente nesta segunda-feira para cima da França, no Maranãzinho. Motivo mais que suficiente para empolgar a torcida, que passou a cantar das arquibancadas que o ‘campeão voltou'. Tal euforia, porém, foi rapidamente barrada pelos comandados de Bernardinho.
A gente tirou um dos favoritos que é a França e vai com tudo para cima da Argentina. “O Brasil se fortaleceu”, complementou Serginho, já citando o confronto que o time terá pela frente agora, hoje quarta-feira, diante dos Hermanos ás 22h15.
OLIMPÍADA HANDEBOL MASCULINO
A equipe brasileira de handebol masculino joga hoje ás 10h da manhã, a partida de quartas-de-final contra a França. Vamos torcer para nossa equipe chegar a semifinal fortalecida.
OLIMPÍADA BOXE É CAMPEÃO
Robson Conceição, de 27 anos, conquistou a primeira medalha de ouro da história do boxe olímpico brasileiro ao derrotar na final o francês Sofiane Oumiha, por decisão unânime dos juízes. Show de bola!
OLIMPÍADA VÔLEI FEMININO ESTÁ FORA
O Brasil podia entrar para a história do vôlei nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Uma primeira fase impecável trilhava o caminho para o tricampeonato olímpico, feito que só Cuba havia conseguido. Mas o sonho parou na China, nas quartas de final. As chinesas ganharam de virada por 3 a 2, parciais de 15/25, 25/23, 25/22, 23/25 e 15/13, em duas horas de jogo.
Classificada para o mata-mata na primeira colocação e sem um set sequer cedido, o time de José Roberto Guimarães viu no sistema defensivo seu principal problema na partida. Leia, Jaqueline, Fê Garay e Natália tiveram oportunidades para corrigir o sistema defensivo, mas não solucionaram o problema.
A zebra dentro de casa faz com que a participação do vôlei feminino seja a pior desde a Olimpíada de Seul-1988. Na ocasião, o Brasil ficou em último lugar de sua chave e disputou apenas o quinto lugar da competição. Desde então, haviam sido duas medalhas de ouro (08 e 12), duas de bronze (96 e 00) e dois quartos lugares (92 e 04).
OLIMPÍADA HANDEBOL FEMININO ESTÁ FORA
A seleção brasileira feminina de handebol perdeu hoje (16) para a Holanda e está fora da disputa por medalhas na Rio 2016. O placar final foi 32 a 23. A brasileira Fernanda Franca da Silva foi a artilheira da partida, com sete gols.
As holandesas agora aguardam o resultado do jogo entre Espanha e França para conhecer o próximo adversário, nas semifinais.

OLIMPÍADA VÔLEI DE PRAIA MASCULINO ESTÁ NA FINAL
O Brasil terá uma dupla na decisão masculina de vôlei de praia da Rio-2016. Campeões mundiais no ano passado, Alison e Bruno Schmidt venceram os holandeses Alexander Brouwer e Robert Meeuwsen por 2 sets a 1 nesta terça-feira (16), com parciais de 21/17 e 21/23 e 16/14), colocaram o país na final pela quinta vez consecutiva e garantiram ao menos a medalha de prata.
Até hoje, o Brasil só não esteve na decisão masculina do vôlei de praia em uma edição de Jogos Olímpicos (Atlanta-1996). Desde então, o país sempre colocou um conjunto na decisão. O único ouro obtido pelos representantes nacionais, contudo, foi em Atenas-2004, quando Ricardo e Emanuel foram campeões.
O próprio Alison esteve no jogo que valia a medalha de ouro na edição passada dos Jogos, em Londres-2012. Naquela ocasião, jogando ao lado de Emanuel, o brasileiro perdeu o título para os alemães Brink e Reckermann.
OLIMPÍADA VÔLEI DE PRAIA FEMININO ESTÁ NA FINAL
O Brasil garantiu presença na final do vôlei de praia feminino na Rio-2016. E foi eliminando uma das maiores lendas do esporte. Ágatha e Bárbara derrotaram na madrugada desta quarta-feira (17) a dupla americana formada por April Ross e pela veterana Kerri Walsh, que é tricampeã olímpica e nunca havia perdido uma partida na história dos Jogos.
O triunfo da dupla brasileira veio por 2 sets a 0, com parciais de 22/20 e 21/18. Na final, que está marcada para começar às 23h59 (de Brasília) desta quarta, as adversárias serão as alemãs Laura Ludwig e Kira Walkenhorst.
Já as americanas terão que se contentar com a disputa do bronze, também nesta quarta, às 20h, contra as brasileiras Larissa e Talita.
Walsh, 38 anos, foi campeã em Atenas-2004, Pequim-2008 e Londres-2012, ao lado de Misty May-Treanor. Até a derrota desta noite, eram 26 jogos e 26 vitórias em Olimpíadas. Já sua parceira April Ross, 34, foi medalhista de prata em 2012 ao lado de Jennifer Kessy.

terça-feira, 16 de agosto de 2016

16 de março 2016. Papo Com Du. TERÇA QUE SEGUE E O SHOW? ESSE VAI SEMPRE CONTINUAR!!!

PENSAMENTO DO DIA
" O segredo da vida não é ter tudo que você quer, mas amar tudo que você tem"! George Carlin.
OLIMPÍADA ATLETISMO: QUEM PODERÁ PARÁ-LO?
Antes de dormir, conte uma história ao seu filho. Pode ser a do menino que desafiava o tempo, rápido feito um raio e que colecionava ouros. Enquanto os outros corriam atrás, ele corria na frente. E, mesmo já tendo vencido todos, seguia correndo. Não bastava ser o homem mais rápido de todos os tempos. Era preciso ter os três títulos que ninguém tinha. Na noite do último domingo, antes de dormir, conte ao seu filho – se é que ele ainda não sabe - que só Usain Bolt é tricampeão na história dos 100m rasos, seja entre homens ou mulheres. 
Conte o quão aplaudido e reverenciado ele foi assim que pisou na pista do Engenhão no Rio de Janeiro e como ele arrancou de forma espetacular para deixar o cronômetro parado em 9s81, sua melhor marca na temporada. Conte como ele venceu os limites de um corpo de 29 anos e como passou o americano Justin Gatlin (9s89) nos metros finais antes de celebrar com a torcida que o ovacionou a noite toda. O canadense Andre De Grasse (9s91), coadjuvante de luxo, completou o pódio.
VÔLEI: AVANHANDAVA É CAMPEÃO!

Vôlei Feminino de Avanhandava se consagrou Campeão da Associação Marechal Rondon de Voleibol, categoria Sub 19. No último final de semana na cidade de Bilac, a equipe de Avanhandava sagrou-se Campeã Geral, depois de vencer as equipes de     Promissão, Cafelândia e Lins. Com bons jogos, bom nível técnico entre as equipes, Avanhandava conseguiu o título, a segunda colocação ficou com  Cafelândia,  seguido por Bilac em terceiro. A equipe jogou com : Cássia, Nathalia, Eduarda, Camila, Gabrielle, Giovana, Karollainy, Maria Eduarda e Livia. Técnico: profº Gilson de Paula (Jiló). O vôlei de Avanhandava tem o apoio da prefeitura de Avanhandava, Secretaria da Educação, Usina Diana, Supermercado são Cristóvão, Unifarma, Calçados Noroeste, Sorveteira Frutalle e Top malhas.
A atleta Gabrielle foi eleita a melhor jogadora do campeonato.
JUDÔ: MATEUS ALVES É PRATA!
Foi disputado no dia 07 de agosto na cidade de Mogi das Cruzes, a 21ª Copa Titans De Judô.
O penapolense Mateus Alves ficou com a medalha de prata.
Mateus agradece os senseis Marcelo Kiwata da Associação de Judô Araçatuba, Thiago Chiodi da Academia Águias do Judô de Lins, o psicólogo esportivo Júlio Ribeiro e os personais trainers do Clube Penapolense Simone e Denilson, que ajudam na preparação física do Mateus e a DDLIMP por apoiar e acreditar.

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

12 de agosto 2016. Papo Com Du. SEXTA QUE SEGUE E O SHOW? ESSE VAI SEMPRE CONTINUAR!!!

PENSAMENTO DO DIA

"A caridade é a felicidade dos que dão e dos que recebem." Camilo Castelo Branco.


OLIMPÍADA VÔLEI FEMININO

Na noite de quarta-feira, a seleção se impôs e derrubou o Japão no Maracanãzinho: 3 sets a 0, parciais 25/18, 25/18 e 25/22. A vaga na sequência da Olimpíada, então, estava garantida, com antecedência.
Agora, o Brasil soma três vitórias na competição e lidera o Grupo A de forma invicta, com nove pontos. A Rússia tem a mesma pontuação, mas leva a pior nos critérios de desempate. O Japão, por sua vez, estaciona nos três pontos. Na próxima sexta-feira, a seleção volta à quadra para enfrentar a Coreia do Sul, às 22h35, enquanto as japonesas enfrentam as russas, às 20h30.


OLIMPÍADA VÔLEI MASCULINO

Na noite da última quinta-feira a seleção brasileira de vôlei comandada pelo técnico Bernardinho não se  impôs diante a seleção americana e perdeu por 3 set 0, parciais de 25/20, 25/23, 20/25 e 25/20, pela terceira rodada da etapa de grupos dos Jogos Olímpicos Rio 2016.


OLIMPÍADA NATAÇÃO

Phelps somou na noite de quinta-feira seu 22º ouro. Ele ainda tem mais duas pratas e dois bronzes. E mais duas provas a disputar no Rio de Janeiro: as finais dos 100m borboleta e do revezamento 4x100m medley.
Se ganhar as duas chegará às mesmas 24 medalhas de ouros que o Brasil tem hoje na história dos Jogos. Antes, ainda pode igualar os 23 da África do Sul - do seu 'inimigo' Chad le Clos, que lhe tirou a medalha dourada mais doída de sua carreira, nos 200m borboleta de Londres, em 2012. A pergunta que fica: Quem poderá parar esse fenômeno?
OLIMPÍADA BASQUETE MASCULINO
Em atuação inconstante na Arena Carioca 1, a seleção masculina de basquete foi derrotada pela Croácia por 80 a 76 nesta quinta-feira (11). O Brasil chegou a estar 14 pontos atrás, chegou a se reencontrar no segundo tempo e cresceu no último quarto, mas já era tarde para a reação.
Apesar de sofrer seu segundo revés nestas Olimpíadas, o Brasil ainda tem chances de classificação e soma quatro pontos no grupo B (cada vitória rende dois pontos; a derrota, um). O time de Rubén Magnano volta à quadra às 14h15 (de Brasília) deste sábado (13) para um confronto muito importante contra a Argentina, no qual uma derrota colocaria os brasileiros no caminho dos Estados Unidos nas quartas de final ou pode até mesmo significar uma eliminação prematura.
OLIMPÍADA HANDEBOL FEMIN INO

Precisando vencer após a derrota para a Romênia, a Espanha entrou em quadra contra o Brasil nesta quarta-feira e não decepcionou. Comandadas pelo técnico Morten Soubak, as brasileiras não conseguiram repetir o desempenho dos dois primeiros duelos e acabaram sendo superadas pelas atuais medalhistas de bronze por 29 a 24.
A seleção brasileira enfrenta a Angola nesta sexta-feira ás 9h30 da manhã.

OLIMPÍADA VÔLEI DE PRAIA


A dupla brasileira do vôlei de praia Alison Cerutti e Bruno Oscar Schmidt venceu hoje (10) os italianos Alex Ranghieri e Adrian Raurich, por 2 sets a 0, garantindo vaga nas oitavas de final. O jogo começou às 15h30 na Arena Vôlei de Praia, em Copacabana.

OLIMPÍADA POLO AQUÁTICO MASCULINO


Num exercício de imaginação, troque a piscina pelo gramado. Imagine uma seleção com alguns dos melhores jogadores de futebol do mundo enfrentando uma equipe que nunca passou da primeira fase de uma Copa do Mundo. É mais ou menos essa a comparação a ser feita na vitória do Brasil por 6 a 5 sobre a Sérvia, na última quarta-feira, pela primeira fase do torneio olímpico masculino de polo aquático. Dessa forma, os atletas comandados pelo técnico croata Ratko Rudic deram asas à imaginação quando perguntados da dimensão do feito que, de quebra, garantiu a equipe nas quartas de final da competição.
 Imagina um time com Messi, Cristiano Ronaldo, Ibrahimovic, Pogba. Imagina os melhores caras do mundo contra jogadores que treinam pra caramba e que estão juntos até o final. O Ratko falou desde o início: aqui não tem nomes, tem homens. Mostramos isso na água. Desculpa a palavra, mas a gente jogou pra c... – disse Adrià Delgado, autor de um dos gols sobre a Sérvia.



terça-feira, 9 de agosto de 2016

09 de agosto 2016. Papo Com Du. TERÇA QUE SEGUE E O SHOW? ESSE VAI SEMPRE CONTINUAR!!!

PENSAMENTO DO DIA
“A distância é intrigante. Tem quem fique distante ao nosso lado, e quem continue ao nosso lado, mesmo distante”. Dilara Yalniz.

OLIMPÍADAS NATAÇÃO: HOJE TEM PENAPOLENSE NA PISCINA!
Hoje a partir das 13:50 da tarde, horário de Brasília, o penapolense Thiago Simon fará sua estreia em Olimpíada. Que possamos hoje elevar nossos pensamentos em forma positiva para que esse jovem conquiste uma vaga para nas finais e quem sabe uma medalha olímpica. Thiago estará competindo na bateria 5, raia 2 na prova de 200 metros peito. A prova final está marcada para acontecer ás 22h. Que os bons ventos soprem a seu favor Thiago!


OLIMPÍADA JUDO: MENINA DA CIDADE DE DEUS É OURO!!!!


Faltavam boas horas para o início da competição. Mas, em um quarto do prédio 31 da Vila dos Atletas, cada um dos confrontos da chave do peso-leve feminino acontecia na cabeça de uma insone judoca. Entre um cochilo e outro, a ansiedade para libertar-se de um fantasma que acompanhava Rafaela Silva há quatro anos era extravasada com o ensaio de golpes e a visualização da vitória. O público não viu esse treino na madrugada, não soube do vômito após a primeira luta e talvez duvide que ela só lembre da estreia e da final. Mas cada um desses detalhes compôs o caminho da menina da Cidade de Deus até o título olímpico no 8 de agosto mais especial dos seus 24 anos. Ela, que na infância lutava para ter chinelos, ao final do dia teria o mais valioso ouro pendurado no pescoço. Afinal, judô se luta com os pés no chão.
Na noite de domingo, Rafaela conversou com a coach Nel Salgado, responsável pelo aconselhamento que a fez sair da depressão que sucedeu a eliminação dos Jogos de Londres. Foi instigada na medida. Foi lembrada que chegava à segunda Olimpíada como 14ª do mundo, que sua performance era tida como uma incógnita. Sentiu a raiva necessária para canalizar sua força nos tatames.
Até tentou dormir por volta das 23h, mas cadê que o sono vinha? Era tanta coisa na cabeça... Um filme da frustração de quatro anos atrás, as ofensas racistas, as adversárias do dia seguinte... Elas estavam na cabeça desde que a chave tinha sido divulgada e tumultuaram o sono da campeã mundial de 2013.
- Na verdade eu não dormi. Ficava acordando de hora em hora. Quando é competição muito importante, eu não consigo dormir, fico imaginando cada luta depois que sai o sorteio das chaves. E toda hora acordava nas lutas, quando eu estava jogando as adversárias. Fiquei mentalizando a competição inteira. Ficava pensando que em Londres eu tinha sofrido bastante e que na minha segunda Olimpíada não queria sentir aquela sensação novamente.

Às 6h Rafaela levantou da cama, e uma hora depois tomou café da manhã e foi para a Arena Carioca 2. Ficou na área de aquecimento até ser chamada para o confronto com a alemã Myriam Roper. Pobre coitada... Durou só 45 segundos. A brasileira estava com sangue nos olhos. Entrou muito decidida na arena, passos rápidos, olhar cerrado e estalando o maxilar. Passou reto pela família e pelos amigos, que estavam na arquibancada.


OLIMPÍADA VÔLEI

O vôlei feminino da seleção brasileira atropelou ás meninas da Argentina por 3 set 0 e segui firme rumo a classificação. A equipe de José Roberto Guimarães joga hoje ás 22h35 contra a seleção do Japão.

OLIMPÍADA HANDEBOL

A seleção feminina de handebol segue firme na busca por uma medalha nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Apesar da expulsão de Duda, a estrela do time, o Brasil venceu a Romênia nesta segunda-feira por 26 a 13 e alcançou sua segunda vitória no grupo A.
Campeã mundial em 2013, a equipe chegou ao Rio de Janeiro como uma das principais equipes da competição e bateu a Noruega, favorita à medalha de ouro, no último sábado por 31 a 28.
Nesta quarta-feira, às 16h40, o Brasil volta à Arena do Futuro para enfrentar a Espanha.

OLIMPÍADA VÔLEI MASCULINO

Hoje a partir das 22h30 o voleibol masculino do Brasil enfrenta a seleção canadense. O Brasil estreou com vitória sobre o México por 3 set 1, o Canadá também estreou com vitória, mais sobre um adversário favorito ao ouro, vencendo o USA por 3 set 0.

OLIMPÍADA BASQUETE

As nossas duas seleções de basquete masculina e feminina entram em quadra hoje precisando se recuperar da derrota de estreia. O masculino enfrenta a Espanha ás 14h, enquanto o feminino joga contra a Bielorrússia ás 15h30.

OLIMPÍADA HANDEBOL

Se vocês leitores tiverem um tempo assistam ao handebol que está sendo um show. O handebol masculino do Brasil joga ás 16h40  contra Eslovênia.